Chapas de ACM

Formadas como sanduíches, de duas folhas de Alumínio entremeadas por uma camada de polietileno, as chapas de ACM tornaram-se moda em acabamento arquitetônico na década de 1.990, ao ponto de ao menos um edifício paulistano, com acabamento metalizado, construído na época, ganhar como apelido o título de um filme de longa metragem, cujo personagem principal é associado a uma… armadura.

A sigla ACM vem do inglês como acrônimo de Aluminium Composite Materials, tendo sido absorvida no Brasil como sinônimo de Material Composto de Alumínio.

Bastante conhecidas no mercado, as chapas de ACM têm origem junto a diversos fabricantes, tendo se tornado objeto de especificação em norma editada pela ABNT, identificada como NBR 15446 e publicada em 2006. Um dos resultados são as placas padronizadas, ofertadas com perímetros limitados em 1,22 x 5,0 m ou 1,500 x 5,0 m.

Leveza

40% mais leves que as chapas de alumínio maciças (esp. 3,00 mm), as chapas de ACM podem ser adquiridas em espessuras a partir de 3 mm, podendo evoluir até 6 mm, embora isto dependa do fornecimento. Uma das peculiaridades do material é a de exigir logística simplificada, uma vez que a densidade superficial é reduzida, além de ocupar volumes pequenos durante a estocagem. O içamento igualmente demanda esforços relativamente reduzidos.

Usinagem

As chapas de ACM admitem usinagem, podendo ser calandradas até o diâmetro essencial, viabilizando revestir pilares, postes, eventualmente prismas com secção elíptica, oblonga ou ovalada. Passível de dobra, desde que o material seja fresado para formar um canal de seção trapezoidal uniforme e com isto otimizar a dobra.

Tratando-se de Alumínio, a chapa é fornecida revestida de filme plástico de proteção, que é removido após a aplicação. Mas o acabamento não se limita à apresentação metálica, podendo assumir coloração em amplo espectro, além de existir a alternativa de imitação de madeira, em variados padrões.

O resultado contribui para o isolamento acústico e absorção de vibrações, viabilizando instalações comerciais como marquises e out-doors, e decoração de interiores comerciais, caso de padarias, restaurantes.

Manutenção

O  produto é de fácil manutenção, sua limpeza é simples, admite lavagem com água e detergente neutro, utilizando esponja bem macia ou pano 100 % algodão, para sujeiras mais pesadas deve-se álcool isopropílico.